Express STI Data Driven - novo serviço do PequiLab validado com sucesso

A orientação a dados é essencial para que se fortaleça cada vez mais uma cultura de governo baseado em evidências, um governo pautado em dados e informações para compreensão clara de seus desafios e problemas a serem enfrentados, bem como para proposição de políticas, programas, ações e projetos alinhados às reais necessidades, potencializando assim a chance de acurácia e efetividade. A construção de uma maturidade em  orientação a dados possibilita ao governo prever e prescrever ações, permitindo intervenções prévias e correções de rumo antes de as coisas saírem do prumo, evoluindo de uma postura reativa para uma postura preditiva.

Importante destacar também que orientação a dados é uma das seis dimensões de um governo digital. Caminhar para a transformação digital é encarar, de frente, o desafio de implementar essas dimensões, uma vez que um governo digital é, segundo a OCDE, um governo Proativo (Proactiveness), Aberto por Padrão (Open by default), Conduzido pelo Usuário (user driven), Concebido como Digital (Digital by desing), Orientado a dados (Data Driven) e Governo como Plataforma (Gaap).   O Governo tem um volume gigantesco de dados e informações que podem, e devem, ser melhor utilizados e explorados para repensar o próprio governo.

Ciente dessa importância, e da importância de disseminar tal cultura, a Subsecretaria da Tecnologia da Informação, da SEDI, demandou junto ao PequiLab, uma edição do Express cujo tema foi: como fomentar a cultura de dados e de governo baseado em evidências a partir de desafios reais da gestão pública, usando abordagens do design?

Encerrada na última sexta-feira, 31.07, a Edição STI Data Driven contou com a participação de 4 times que, ao longo de duas semanas, cinco oficinas, partiram de um desafio real das áreas de negócio até a proposta de um produto de dados que resolva parte desse desafio, percorrendo o duplo diamante do Design Thinking.

Participaram desse edição, times mistos envolvendo servidores das áreas de negócio e TI: E-Nova (Secretaria da Economia), que prototiparam e validaram um dashboard para o CAT – Conselho Administrativo Tributário ; ObservaGO (SEDI),que propuseram uma visão voltada à atração de investimentos em inovação como primeiro produto de um Observatório do tema; SGIs (time misto com SGIs da SEDI, Economia, PGE e SEMAD) que avançaram para a identificação da principal dor dos SGIs atualmente, a gestão de contratos, e prototiparam um painel para apoiar SGIs e gestores de contratos; e Ultra (SSP/Policia Civil) que trabalharam em um produto de dados para subsidiar o trabalho de investigação ao crime organizado.

No encerramento, os times contaram com feedbacks e orientações de uma banca de especialistas, composta por Celso Camilo, Subsecretário de Tecnologia da Informação da Sedi; Vitor Mori, Consultor Gartner, e Carlos Augusto Gonçalves Tibiriçá, Cientista de Dados e Gerente de Inovação da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás; os quais deram contribuições valiosas para que os times possam agregar mais valor aos produtos que vão implementar, com destaque para a possibilidade de uso de robôs, a qualidade da coleta dos dados, não perder de vista a visão dos usuários e a importância de um bom repositório de dados para suportar análises complexas e robustas, para além da mera apresentação visual de informações de histórico.

Ao final, Tibiriçá fez questão de ressaltar a importância de se trabalhar o desenvolvimento das pessoas paralelamente às soluções técnicas. Tibiriça destacou que uma cultura de orientação a dados não se faz só com algoritmos e corpo técnico, vai desde a pessoa que alimenta os dados na origem, com a consciência e importância do que faz, até quem consome os produtos finais de análise, é uma cadeia inteira de pessoas que precisa entender e consumir dados da melhor forma. A transformação digital passa por essas pessoas, e as pessoas precisam ser desenvolvidas para esse novo governo.

Celso reforçou a importância dessa edição do Express e se mostrou satisfeito com o nível dos produtos apresentados pelos times. Celso afirmou não ter dúvidas de que funcionou muito, destacou estar muito feliz com o que acabou de ver, com resultado alcançado e com engajamento de todos para que isso acontecesse. "Parabéns!”, concluiu. Ao final, reforçou que os times podem contar com o apoio da STI para a implementação dos seus produtos.

Serviço - O que é o Express?

Serviço do PequiLab, laboratório de inovação em governo, o Express é um processo criativo de curto prazo baseado em conceitos e ferramentas de Design Thinking e Design Sprint para desafios selecionados, com foco no aprendizado através de metodologias ativas, learn by doing e PBL – Aprendizado baseado em problema, e com objetivo de validação de um MVP – Produto mínimo viável – ao final.

Edição STI Data Driven:

5 oficinas – 20.07 a 31.07 

4 times (Economia, Sedi, SGIs, SSP) – 32 participantes

40 h: 20h de atividades síncronas (oficinas remotas) + 20h assíncronas (trabalhos dos times)